Bibliographical Sources

 

 

Books

Articles in periodicals

Chronological

 

 

 



ARTIcles in periodicals

 

Collected articles donated to the national library’s Fundação Biblioteca Nacional – Rio de Janeiro, where they may be consulted in the Divisão de Música e Arquivo Sonoro

 Authors /Titles

“A bossa, segundo Guerra Peixe”. Guanabara em Revista, Rio de Janeiro, nº 9, ago. 1967.

“A formação do compositor contemporâneo”. O Globo, 28/9/1965.

 ALMEIDA, Renato. “Atonalistas brasileiros”. Diário de Notícias, Rio de Janeiro, 30 nov.1947

________.  “Uma Suíte Paulista”. Diário de Notícias, Rio de Janeiro, 09 nov.1958.

________.  “Querido Luis Heitor” (carta de R. Almeida a Luiz Heitor). Biblioteca Amadeu Amaral, Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular. 01 fev.1954

 “A música popular e a música folclórica brasileira.” O Politécnico, São Paulo, ano XIII, julho 1958.

ANDRADE, Ayres de. “Quando um músico usa de sua arte para alegorias histórico-sociais.” O Jornal, Rio de Janeiro, 04 dez.1963.

ANDRADE, Maria Julieta Drummond de. “Guerra Peixe, a noite da festa no Municipal,” O Globo, Rio de Janeiro, 15 ago.1985.

ARAGÃO, Diana. “Um prêmio para um grande artista.” Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 22 set.1986.

 

ARAGÃO, Helena. “Mestre ‘da capo’.” Jornal do Brasil, Caderno B, pp. 1, 17 mar.1004.

ARAÚJO, Celso. ”Guerra contra a cacofonia modernosa.” Correio Braziliense, Brasília, 10 set.1976.

BARROS, Luitgarde Oliveira Cavalcanti. “Maestro Guerra Peixe.” Jornal Folha de Laranjeiras, Rio de Janeiro, ano XIX, nº 105, dez.1993.

BASTOS, Ângela Fernandes. “Guerra Peixe: ‘O tropicalismo foi uma picaretagem que houve dentro da música popular brasileira’.” Jornal de Brasília, Brasília, 25 nov.973.

BEVILACQUA, Octavio. “Nossos dodecafonistas” [I, II]. O Globo, 21 e 25 ago.1950

________. “O falso nacionalismo e a música.” O Globo, 12 jan.1966.

“Brasília ouvirá dia 7 sinfonia que Guerra Peixe fez para ela.” O Globo. Rio de Janeiro, 05 set.1976.

CAETANO, Maria do Rosário. “Uma homenagem ao maestro Guerra Peixe,” 24 nov.1984.

CALDEIRA Filho, João C. “Um momento da música brasileira.” Diário de São Paulo, jun. 1947.

CARVALHO, Ilmar. “O tardio reconhecimento de um talento.” O Estado, Florianópolis, 01 jun.1987.

 “César Guerra Peixe.” Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 11 out.1964.

CLAVER FILHO. “Guerra Peixe e a composição brasileira.” Correio Braziliense, Brasília, 31 ago.1975.

COELHO, João Marcos. “Guerra Peixe comemorou na gafieira.” Folha de São Paulo, São Paulo, 25 mar.1984.

 “O drama do dodecafonismo.” O Cruzeiro, 22 set.1951.

 “Música e dodecafonismo.” Diário de Notícias, Rio de Janeiro, 22 out.1952.

“Devem os compositores introduzir elementos nacionalizadores em sua obra” [entrevista de Guerra-Peixe]. Diário da Noite, São Paulo, 14 mar.1949

DINIZ, Jaime. “Duas sugestões à DDC.” Jornal do Commercio, Recife, 17 ago.1952.

________. “Um ex-dodecafonista” [I, II]. Diário da Manhã, Recife, 30 jul. e 01 ago.1950. “I” − reproduzido em Syrinx, Salvador, ano V, n.54, julho 1952.

DUARTE, Francisco. “Guerra Peixe, meio século de engajamento.” Jornal do Brasil, 19 mar.1979.

“É lamentável o estrangeiramento da nossa música.” Radiolândia, Rio de Janeiro, 12 nov.1955.

 “Fala Guerra Peixe” [sobre cinema nacional]. Jornal do Commercio, Recife, 12 mar.1950.

FARIA, Antônio Guerreiro de. “Popular e erudito para expandir a música.” Jornal do Brasil, Idéias, 13 mar.1999.

FARIAS, Celina de. “A música eletrônica é válida?.” O Jornal, Rio de Janeiro, 03 mai.1970.

FITTIPALDI, Vicente. “Guerra Peixe.” Folha da Manhã, Rio de Janeiro, 11 jul.1950.

FRANÇA, Eurico Nogueira. “Folclore pernambucano.” Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 05 out.1955.

________.  “Intermezzo atonalista.” Correio da Manhã, Rio de Janeiro. 31 out.1947

________.  “Intermezzo atonalista.” Diário de São Paulo, São Paulo, 26 fev.1949. Obs.: título idêntico, conteúdo diferente do artigo anterior.

________. “Os discípulos de Schoenberg.” Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 06 set.1952.

________. “OSN e OSB” [sobre estréia da Sinfonia Brasília]. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 01 dez.1963.

________. “Sobre o destino das obras brasileiras.” Correio da Manhã, 22 jun.1948.

GALLIANO, Alfredo Guilherme. “Guerra Peixe − É preciso descobrir o manancial da música folclórica.” Para Todos, Rio de Janeiro/São Paulo, nº 7, ago. 1956.

GRAÇA, Fernando Lopes. “Carta Aberta de Fernando Lopes Graça ao compositor brasileiro Guerra Peixe.” Ler, Lisboa, maio de 1953.

“Gravações dos Ministérios − Guerra Peixe não deixará sair sua composição.” A Gazeta, São Paulo, 13 abr.1957.

GRISOLLI, Paulo Afonso. “A partir da instituição do Rei do Congo, um maestro estuda os maracatus do Recife.” Folha da Manhã, São Paulo, 27 nov.1955.

GUERRA-PEIXE, César. “A influência do negro africano na música do Brasil.” Fundação Joaquim Nabuco de Pesquisas Sociais, Recife, 25 set.1981

________, “A provável próxima decadência do frevo.” Diário da Noite, Recife, 27 jan.1951.

________.  “Um século de música no Recife” (20 artigos). Diário de Pernambuco, Recife. 1952: I − 30mar.; II − 13abr.; III − 20/abr.; IV − 27abr.; V − 04mai.; VI − 11mai./ VII − 25mai.; VIII − 01jun.; IX − 08 jun.; X − 29jun.; XI − 06jul.; XII − 20jul.; XIII − 23jul.;  XIV − 03ago.; XV − 20ago.; XVI − 17ago.; XVII − 24ago.; XVIII − 31ago.; XIX − 06 set.; XX − 13set.. 

________. “Aspectos da Música Popular − As fábricas gravadoras de discos − A guilhotina da música popular brasileira.” Música Viva, Rio de Janeiro, n. 13, abr. 1947.

________. “Aspectos da Música Popular − Introdução ao samba.” Música Viva, Rio de Janeiro, n.16, ago. 1948.

________. “Aspetos [sic] da música popular − As casas editoras − uma de nossas deficiências musicais.” Música Viva, n.14; in Paralelos, Rio de Janeiro, n.6, dez. 1947

________. “Em termos de música paulista.” Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 12 jan.1964.

________. “Intriga musical.” Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 25 mai.1979.

________. “Marcha Fúnebre a um músico pernambucano” [Paulo Carneiro]. Diário de Pernambuco, Recife, 26 ago.1951. Reproduzido em Música Sacra Petrópolis, out. 1951, e na Tribuna de Petrópolis, 14 nov.1951.

________. “Música e dodecafonismo” (texto datado de Recife, 02/06/1952). Fundamentos, ano V, nº 29, ago.1952.

________. “O dodecafonismo no Brasil (I/II).” O Jornal, Rio de Janeiro, 02 e 09 set.1951.

________. “O índio das arábias.” Revista do Brasil, Rio de Janeiro, ano 4, nº 1, 1988

________. “O zabumba no maracatu.” Syrinx, Salvador, ano V, n.54, jul.1952

________. “Os personagens do mamulengo.” A Gazeta, São Paulo.

________. “Prezado amigo Dr. Renato” (carta de Guerra-Peixe a Renato Almeida). Biblioteca Amadeu Amaral, Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular. 23 jul.1954.

________. “Programas de Rádio.” Música Viva, Rio de Janeiro n. 15, jun. 1948.

________. “Que ismo é esse, Koellreutter?.” Fundamentos, jan. 1953, ano V, nº 31, pp. 33-35

________. “Teatro Popular de Bonecos de Pernambuco.” A Gazeta, São Paulo, 07/11/ c.1954

________. “Variações sobre o baião.” O Tempo, São Paulo, 15 ago.1954.

________. “Variações sobre o boi.” O Tempo, São Paulo, 14 nov.1954.

________. “Variações sobre o maxixe.” O Tempo, São Paulo, 26 set.1954.

“Guerra Peixe.” A Gazeta, São Paulo, 08 jan.1960.

“Guerra Peixe contra o grupo do ‘Eu não sou cachorro não’.” Jornal do Brasil, 15 mar.1976;

“Guerra Peixe − Erudito, popular − acima dos rótulos, a música brasileira.” O Globo, 02 jan.1979.

“Guerra Peixe fala sobre a música dodecafônica.” Folha da Manhã, São Paulo, 13 mar.1949. “Guerra Peixe fala sobre a música dodecafônica.” Folha da Manhã, São Paulo, 13 mar.1949.

“Guerra Peixe, grande compositor brasileiro, musicará a próxima comédia de Procópio.” Cena Muda, Rio de Janeiro, 06 mai.1953, nº 19, pp. 33; também publicada no Correio Paulistano, São Paulo, em 1953.

“Guerra Peixe ministra dois cursos − III Encontro de Arte.” A Província do Pará, 22 jan.1976.

“Guerra Peixe reclama” [sobre gravações do Itamaraty]. A Gazeta, São Paulo, 13 nov.1957.

“Guerra Peixe traz suas obras para o concerto da OSPA.” Diário de Notícias, Porto Alegre, 12 set.1975.

“Guerra-Peixe voltou a compor.” Revista do Globo, Porto Alegre, nov.1952.

HERNANDEZ, Antonio. “Artesão de ritmo e harmonia.” 04 fev.1988, O Globo, Rio de Janeiro.

HORTA, Luis Paulo. “Guerra Peixe 70 anos − O ofício vital de um mestre da música.” Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 19 mar.1984.

________. “Guerra Peixe: 50 anos de vida artística, nacionalista ferrenho.” Jornal do Brasil, 21 jan.1980.

________.  “Mestre Guerra.” Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 22/09/1986.

IVO, Ledo (fotos Moacir Gomes). “Os mestres anônimos da canção, O Cruzeiro

KAPLAN, Sheila. “Guerra Peixe, 70 anos − Uma longa caminhada à procura das raízes da música brasileira.” O Globo, 18 mar.1984.

KOELLREUTTER, Hans Joachim. “Realidade da Música Brasileira (II).” Diário de São Paulo, São Paulo, 02 jul.1956.

KRIEGER, Edino. “Guerra Peixe − O balanço musical dos 60.” Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 10 mai.1974.

________. “O caminho estético de Guerra-Peixe.” Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 01 set.195.

________. “Guerra-Peixe: Razão e paixão na obra de um mestre da música brasileira.” Piracema, n.2, 1994, pp. 76-83

________. “Um artigo de Guerra Peixe.” Tribuna da Imprensa, 05 set.1951.

________. “Um ser singular e plural.” Jornal do Brasil, 17 mar.2004.

KUBRUSLY, Maurício. “Guerra Peixe, um maestro de briga.”

LEITÃO, Arnaldo Câmara. “A opinião de Guerra Peixe (I-IV).” O Tempo, São Paulo, 15, 17, 18 e 19 nov.1955.

________. “Comentando ‘Cancioneiro Armour’.” A Gazeta, São Paulo, 17 abr.1958.

________. “Guerra-Peixe: A Bossa Nova é a melhor coisa surgida ultimamente na música brasileira” (fotos Helio Passos). Rio de Janeiro: Radiolândia, ano VII, nº 329, 23 jul1960.

________. “O samba-canção em Guerra Peixe.” O Tempo, São Paulo, 16 abr.1953.

________. “Ritmos e Melodias Arno.” O Tempo, São Paulo, 05 mai.1953.

________. “Guerra Peixe.” O Tempo, São Paulo, 07 mar.1953

________.  “Guerra Peixe − certo.” O Tempo, 06 mai.1953.

________. “O tratamento ideal.” O Tempo, São Paulo, 08 nov.1953.

________. “Audiência.” O Tempo, São Paulo, 20 abr.1955.

________. “A questão do velho.” O Tempo, São Paulo, 06 ou 07 mai.1953.

________. “Outra ótima audição ‘Arno’.” O Tempo, São Paulo, 10 jun.1964.

________. “Noite de Música Brasileira,” O Tempo, São Paulo, 25 ago.1954.

LIMA, José Inácio Cabral de. “Maestro Guerra Peixe.” Folha da Manhã, Recife, 16 jun1949.

LIMA, Rossini Tavares de. “A Suíte Sinfônica nº 1 (Paulista) e o Ponteado.” A Gazeta, São Paulo, 07 nov.1957.

“Maracatu de Capiba na voz de Leny e com orquestrações do maestro Guerra Peixe.” Radiolândia, Rio de Janeiro, 13 out.1954.

LIRA, Mariza. “Maracatu.” Diário de Notícias, Rio de Janeiro, 23 nov.1956.

MACIEL, Jarbas. “Guerra Peixe e o cinema nacional.” Diário de Pernambuco, Recife, 27 set.1953.

MARIZ, Vasco. “César Guerra-Peixe.” Correio da Manhã, 30 mar.1952.

________. “Guerra-Peixe aos 70 anos.”  Brasília/UNB: Humanidades, vol. II, nº 6, pp. 172, 1975 ou 1975

MARQUES, Clóvis. “Guerra Peixe: ‘Vou criar uma nova escola de música mineira’.” O Globo, 16 jun.1982.

________. “Um retrato de Guerra-Peixe.” Concerto, nº 129, junho2007, pp. 16.

MASSARANI, Renzo. “Concertos da Brasileira e da Nacional.” Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 04 dez.1963.

________. “Inspiração educada na escola.” Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 16 nov.1966.

________. “Maracatus do Recife.” Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 19 nov.1955.

MELO, Clóvis. “O maracatu ‘Elefante’, relíquia viva do passado.” Diário da Noite, Recife, 11 fev.1955.

MIRANDA, Gracita de. “Maracatus do Recife.” Diário de São Paulo, São Paulo, 13 out.1955.

MIRANDA, Haroldo. “Guerra Peixe.” Jornal do Commercio, Recife, 19 set.1950.

________. “Guerra Peixe, sua vida e sua música − ‘A projeção de autores nacionais no estrangeiro não deve servir de engano para nós’.” Jornal do Commercio, Recife, 09 jul.1950.

________. “Guerra Peixe, sua vida e sua música − ‘O maracatu ainda não encontrou o seu descobridor na música erudita’.” Jornal do Commercio, Recife, 20 ago.1950.

________. “Guerra Peixe, sua vida e sua música − ‘Villa-Lobos é uma espécie de dono da música no Brasil’.” Jornal do Commercio, Recife, 30 jul.1950.

________. “Guerra Peixe, sua vida e sua música − Dodecafonismo, um novo estilo de criação musical (IX).” Jornal do Commercio, Recife, 27 ago.1950.

________. “Guerra Peixe, sua vida e sua música − É dolorosa a condição do músico nacional e do ambiente artístico da América Latina.” Jornal do Commercio, Recife, 16 jul.1950.

________. “Guerra Peixe, sua vida sua obra − A história simples de um compositor famoso.” Jornal do Commercio, Recife, 01 jul.1950.

________. “Guerra Peixe, sua vida sua obra − Notável trabalho do Maestro Fitipaldi.” Jornal do Commercio, Recife, 13 ago.1950.

________. “Guerra Peixe, sua vida sua obra − Os métodos capitalistas norte americanos e o problema da edição de música no Brasil.” Jornal do Commercio, Recife, 23 jul.1950.

________. “Guerra Peixe, sua vida sua obra − Quase não se pode afirmar a existência de musicologia no Brasil.” Jornal do Commercio, Recife, 13 ago.1950.

MIRANDA, Oswaldo. “A Abertura Solene, a mais recente vitória de Guerra Peixe!” [segundo de uma série]. Vanguarda, Rio de Janeiro, 29 jul.1950.

________.  “Fixação das bases definitivas da música nacionalista brasileira.” Última Hora, São Paulo, 17 set.1952.

________. “Guerra Peixe e outras considerações − Porque mudou sua orientação estética” [última matéria; e as anteriores?]. Jornal de Petrópolis, Petrópolis, 07 set.1950.

________.  “Toda uma bagagem musical jogada ao lixo!” (continuação). Jornal de Petrópolis, Petrópolis, 13 ago.1950.

MURICY, José Cândido de Andrade. “A OSN e a Sinfonia Brasília.” Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, 11 dez.1963.

“Música Brasileira e Folclore.” A Gazeta São Paulo, 09 set.1955.

“Música folclórica paulista.” Diário de Notícias, Rio de Janeiro, 23 mar.1958.

NAGIB, Júlio. “Comentando um LP − Orquestra Estadual de Moscou,” Folha da Noite, São Paulo, 22 jan.1958.

NÓBREGA, Adhemar. “Audição do Big Three da Música Viva.” Diário Trabalhista, Rio de Janeiro, 01 dez.1947.

“O compositor precisa buscar as manifestações de caráter nacional.” Última Hora, Rio de Janeiro, 15 mar.1980.

“O dodecafonismo obriga o compositor a limitar-se.” Diário de Pernambuco, Recife, 26 nov.1952

“Os pesquisadores estão aqui, mostrando a MPB.” Zero Hora, Porto Alegre, 14 jul.1975.

“Uma orquestra para a Bahia.” Estado da Bahia, Salvador, 18 jun. 1952.

“O novo samba-canção não passa de bolero − Prejudicada a música nacional sob a influência de orquestração pomposa.” O Tempo, São Paulo, mar.1953.

PASSOS, Claribalte. “Temas do folclore em cantigas do povo.” Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 08 dez.1957.

PIMENTEL, José. “Guerra (Peixe) no universo armorial.” Jornal da Cidade, Recife, 28 dez.1976.

PITTA, Rocha. “Revolução na música que relega os mestres.” Diário da Noite, São Paulo, c. 13 mar.1949.

PRESTES, Carlos Ribeiro. “O oceano Guerra Peixe.” Cine Imaginário, mar.1987.

“Primeiro concerto dodecafônico em São Paulo.” Diário da Noite, 11 mar.1949.

RAPOSO, Lucas. “Guerra-Peixe, 70 anos − Música, falando em brasileiro.” O Estado de Minas, Suplemento Literário, 21 abr.1984.

SABOIA, Patrícia. “Últimos desejos do maestro.” Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 24 mai.1994.

SCHILD, Suzana. “Maestro Guerra Peixe − ‘O samba das escolas é uma banalidade’.” Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 20 fev.1983.

SILVA, Flavio. “Guerra-Peixe − Um catálogo sumário” (separata, 7pp.). Piracema, Rio de Janeiro, n° 2, ano 2, 1994.

SUCUPIRA FILHO, Eduardo. “Devem os compositores introduzir elementos nacionalizadores em sua obra” [entrevista de Guerra-Peixe]. Diário da Noite, São Paulo, 14 mar.1949.                                    Obs.: o artigo não informa autor, que foi identificado a partir de declaração sua em recorte enviado a GPP.

________.  “O compositor Guerra-Peixe fala sobre o maracatu.” Notícias de Hoje, São Paulo, 11 mar.1956.

TACUCHIAN, Ricardo. “Correspondência entre Guerra-Peixe e Lopes Graça.” Revista Música, ECA/USP, vol. 11, 2006, pp. 97-110.

TAVARES, Cláudio T. “A arte tem por base as tradições do povo (primeira parte de uma entrevista com Guerra Peixe).” Diário de Notícias, Salvador, 07 mai.1951.

________ . “Guerra Peixe abandonou a teoria de Schoenberg.” Diário de Notícias, Salvador, 01 abr.1951.

________ . “Problemas da música brasileira” [segunda parte de uma entrevista com Guerra Peixe]. Diário de Notícias, Salvador, 14 mai.1951.

TINHORÃO, José Ramos. “A grande música de Luis Gonzaga, de Guerra Peixe e do Brasil.” Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 27 set.1978.

________ . “Maestro Guerra Peixe mergulha na onda do samba.” Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 22/03/1963.

TRINDADE, Mauro. “A obra afiada do maestro Peixe.” Jornal do Brasil, 23 nov.1990

“Um curso sob a batuta do maestro Guerra Peixe.” O Globo, Rio de Janeiro, 09 mar.1980.

VASCONCELOS, Ary. “Música Popular.” O Jornal, Rio de Janeiro, 26 jul.1959.

VIANY, Enéas. “A decadência da nossa música popular é devida, em parte, aos cantores.” Cena Muda, Rio de Janeiro, 04 mai1943, pp. 5, 25.

“Visita de Guerra Peixe.” Syrinx, Salvador, ano V, n.54, julho 1952.